08 junho 2017

Com toda a crise econômica e ambiental, surge esta solução simples para gerar energia limpa em casa, economizando dinheiro e poupando o meio ambiente.

A UGES (Unidade Geradora de Energia Sustentável) transforma caixas d’água em mini usinas hidrelétricas, independente de seu tamanho, transformando a passagem de água que abastece os reservatórios em um sistema gerador de energia limpa. No Brasil a média de consumo diário de água é 250 Litros por pessoa, consumo que é totalmente desperdiçado como forma de energia. Ao desenvolver um sistema que reaproveita essa energia, podemos gerar eletricidade, sem emissão de gases e totalmente limpa?, explica Mauro Serra a FAPERJ.

 

 

A UGES é acoplada à entrada de água da caixa e conectada, por fios elétricos a uma unidade móvel de tamanho aproximado a um pequeno container que pode ter rodinhas e ser móvel. Composta por várias partes, desde a válvula que regula a entrada de água, uma válvula pressurizadora para gerar pressão na saída para a caixa, fiação, unidade acumuladora móvel, composta de diversos aparelhos de recarga, inversor de energia, tomadas de saída para transformar a energia gerada em eletricidade, com espaço para duas baterias grandes, essa mini usina só precisa de água circulando para gerar, armazenar e distribuir energia.

Ao entrar pela tubulação para abastecer a caixa, a água que vem da rua é pressurizada pelo sistema gerador de energia, passando pela mini usina fixada e angulada na saída de água do reservatório. Girando com pressão mínima de 3 a 5 bar, ela gera nova energia, que, por sua vez, será levada, pelos fios elétricos, ao sistema que transformará a energia de 12 V em 110/220 V e a acumulará para abastecer o local. A energia elétrica gerada tem capacidade para abastecer lâmpadas de iluminação, geladeira, rádio, computador, ventilador e outros aparelhos domésticos?

 

A ideia já está patenteada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, e a expectativa é de que o sistema esteja no mercado em breve expandindo para a rede pública também.

 

Fonte: Engenharia é